Público - 28 Set 06

Pensões sobem, descendo

 

O assunto mereceu uma longa troca de argumentos. O líder do BE começou por vaticinar que o chamado "factor de sustentabilidade", que o Governo pretende introduzir no cálculo das reformas, irá significar uma redução de 14,5 por cento nas pensões. O secretário-geral do PCP tinha alertado para o mesmo problema, assegurando que começariam a "diminuir as reformas a partir de 2007, penalizando mais os jovens trabalhadores". O primeiro-ministro reagiu, alegando que "as pensões não vão baixar, mas sim crescer menos". "As pensões estão a crescer seis por cento ao ano e isso é insustentável", admitiu, acrescentando que essa evolução vai depender das variações na economia.

PSD acena
com trunfo Vitorino

Marques Mendes apostou forte nas divisões que a reforma da Segurança Social gera no interior do PS. O líder do PSD acusou José Sócrates de estar a querer agradar à ala socialista mais à esquerda: "Tem um congresso à porta e alguma esquerda à perna." Antes, contudo, Mendes já havia sublinhado essas fracturas, aconselhando o primeiro-ministro a "ouvir o que diz António Vitorino" sobre o assunto.