Público - 13 Set 06

População portuguesa com menos anos de escola

A população portuguesa continua a ser a que menos tempo passa na escola: 8,5 anos. Os dados são de 2004 e dizem respeito às pessoas que têm entre os 25 e os 64 anos.
São 13 os países que estão abaixo da média da OCDE, que é de 11,9 anos: França, Finlândia e Espanha são alguns deles. Todos à frente de Portugal. Do outro lado da tabela está a Noruega, cujas pessoas entre os 25 e os 64 anos passaram 14 anos na escola. Os números, citados no relatório da OCDE Education at a Glance, são ligeiramente melhores para Portugal do que os apontados no estudo relativo a 2003: 8,2 anos era a média. O valor é muito baixo porque a população entre os 45 e os 54 anos é indicada como a que menos estudou (18 por cento), comparativamente aos restantes países da OCDE (64 por cento). O que equilibra este valor são os 40 por cento dos portugueses entre os 25 e os 34 anos que já frequentaram o secundário: apenas dois pontos percentuais abaixo da média da OCDE. Em países como Portugal, Itália, Espanha ou Turquia, mais de metade da população adulta não completou o secundário. Em termos de expectativas escolares, as crianças portuguesas de cinco anos esperam estar 17 anos na escola. Menos do que uma inglesa ou uma australiana, que passam 20,7 anos. Mas mais do que uma mexicana ou uma turca, que esperam fazer 13,4 e 12,6 anos de escolaridade, respectivamente. A média da OCDE é de 17,4 anos. As raparigas estão mais 0,8 anos na escola do que os rapazes. As portuguesas, belgas e dinamarquesas ficam mais um ano; ao passo que na Turquia, Coreia e Suíça são eles que prosseguem os estudos mais 2,1, 1,8 e 0,6 anos, respectivamente. Comparando os dados de 2003 com os de 1995 verifica-se que houve um aumento de 13 por cento, ou seja, em média, os estudantes passaram a estar mais dois anos no sistema de ensino. Portugal fica abaixo dessa média, pois os alunos só estão mais um ano na escola. B.W.