Público - 8 Set 06

Escola de Castelo Branco decreta proibição de fumar em toda a área do estabelecimento

A Escola Básica do 2º e 3º ciclos Cidade de Castelo Branco adoptou este ano lectivo a proibição de fumar em todo o estabelecimento de ensino, uma medida pedagógica dirigida a alunos, funcionários e professores.
"Para dentro das grades da escola, é interdito o uso de tabaco. Não é uma medida administrativa, mas sim pedagógica. Pretende-se criar uma escola sem fumo", disse à agência Lusa o presidente do conselho executivo, Jerónimo Barroso. A decisão foi tomada em sede de conselho pedagógico, onde "os fumadores perceberam a situação", afirmou Barroso, fumador durante 30 anos e livre do vício do tabaco há seis. "É necessário que as pessoas no meio escolar induzam estes hábitos e sejam exemplo para os mais novos. Não se pode proibir os alunos de fumar e não dar o exemplo", disse.
O projecto Escola sem Fumo, em vigor desde 1 de Setembro, insere-se num objectivo mais vasto de adopção de estilos de vida saudáveis no meio escolar, que passa ainda pelo campo alimentar. Os bares dos alunos não vendem bolos com creme, batatas fritas ou refrigerantes com gás, entre outros produtos. Jerónimo Barroso frisa, no entanto, que o objectivo só será concretizado "integralmente" com a colaboração dos pais e encarregados de educação. "Se na escola não se comem bolos com creme, mas os pais, depois das aulas, levam os alunos a uma pastelaria, a medida não faz sentido. É preciso que todos colaborem", defendeu.
O estabelecimento de ensino promove um sistema de acompanhamento dos alunos, disponibilizando, na sua página de Internet, um serviço em que pais e encarregados de educação podem, "em tempo real", saber o que o estudante almoçou ou outras despesas efectuadas na escola. "Quando um aluno se dirige ao bar e compra um bolo, paga com o cartão e a informação é enviada para a sua conta pessoal na página" explica Barroso. "É um sistema curioso, mas bastante eficaz", acrescentou.
A Escola Cidade de Castelo Branco foi distinguida, no ano passado, como um dos 400 estabelecimentos de ensino europeus tecnologicamente inovadores, ao nível de ferramentas administrativas e projectos pedagógicos.