Juntos pela Vida - 24 Out 07

A falta de deontologia do ministro da saúdeComunicado dos Juntos pela Vida

 

Perante as inacreditáveis declarações do Dr. Correia de Campos sobre a alteração ao Código Deontológico da Ordem dos Médicos, vimos tornar público que:

 

  1. A querela entre o aborto legalizado e os princípios a prosseguir na prática dos profissionais de saúde é mais um momento de tensão entre uma força ideológica e o conhecimento da realidade do trabalho médico;
  2. Obrigar a Ordem dos Médicos a alterar o seu Código Deontológico é uma ofensa aos princípios basilares da comunidade médica que, durante séculos, tem vindo a desenvolver o seu trabalho em função da defesa e acolhimento da Vida, procedendo sempre na protecção do mais fracos;
  3. Seria também uma grave ofensa da Constituição portuguesa, de toda a legislação atinente aos organismos profissionais e ainda a todas as Convenções internacionais que obrigam o Estado português em termos de direitos humanos.
  4. O respeito pela vida humana desde o seu início, previsto no referido Código, resulta da observação milenar da função dos médicos em defesa da vida de todos, pretendendo o preceito resguardar um lugar onde os médicos possam estar firmes nos seus valores;
  5. Fazer bailar a deontologia médica ao sabor dos ventos legislativos é um erro crasso e uma ofensa grave à classe dos que dão a sua vida e o seu trabalho a salvar diariamente milhares de vidas;
  6. Saudamos o Bastonário da Ordem dos Médicos, que no interesse de toda a comunidade médica continua a defender a liberdade destes profissionais mas também de todos os portugueses.
  7. Desde o Estado Novo que nenhum Governo foi tão longe, com a conivência do silêncio de muitos, na defesa do estatismo, na preterição do princípio da subsidiariedade e na ofensa das liberdades.
  8. É urgente que ocorra a demissão do Dr. Correia de Campos. Um Ministro da Saúde deste calibre é uma mancha para Portugal e para a Europa. É urgente que a partir de todos os sectores ideológicos e sociais se levante um clamor em defesa da liberdade. Porque como diz Manuel Alegre haverá sempre alguém que resista, haverá sempre alguém para dizer Não.

 

Juntos Pela Vida Associação

10 Outubro 2007