Diário de Notícias - 03 Out 06

AEP quer valorizar produtos nacionais com programa 'Compro o que é nosso'

Helder Robalo e Ilídia Pinto

 

Com o intuito de criar um novo estado de espírito na sociedade portuguesa através da valorização da produção nacional, a Associação Empresarial de Portugal (AEP) apresenta hoje o projecto "Compro o que é nosso". Centrado na intervenção integrada ao nível da valorização da oferta e da comunicação com os consumidores, o projecto estará em vigor ao longo do ano de 2007 e corresponde a um investimento de 2,1 milhões de euros.

São identificados seis objectivos específicos, numa óptica de oferta e procura. Em primeiro lugar, pretende-se mobilizar os empresários portugueses para serem mais competitivos em preço, qualidade e inovação. Além disso, o projecto "Compro o que é nosso" quer contribuir para o desenvolvimento sustentado das empresas, para a criação de emprego e para o reforço da internacionalização. Outro dos objectivos deste programa é mobilizar os trabalhadores para produzirem com brio e, simultaneamente, terem orgulho no tecido empresarial português.

Este projecto, que se destina aos empresários, trabalhadores e consumidores, pretende levar este último público-alvo a preferir produtos e marcas que gerem valor acrescentado para Portugal. Para isso, irá sensibilizar-se os consumidores para os benefícios económicos e sociais que tal comportamento trará para o País, sobretudo ao nível do aumento do produto interno bruto, redução do desemprego e equilíbrio da balança comercial, entre outros factores.

Produzir com qualidade, preço acessível, design, inovação e variedade são alguns dos objectivos a que, no entender do programa da AEP, os empresários se devem propor. Por seu turno, os trabalhadores devem "trabalhar melhor e com mais entusiasmo". Até porque, defendem os autores do projecto, os empresários só podem produzir melhor se os trabalhadores se encontrarem empenhados e motivados.

A campanha publicitária do projecto "Compro o que é nosso" arranca na televisão, rádio, imprensa, outdoors, autocarros e Internet em Janeiro de 2007 e deverá durar o ano inteiro. Já a campanha de merchandising terá especial incidência na Páscoa e no Natal, períodos que são, por natureza, de maior consumo.

O projecto terá como imagem de marca um logótipo em que se destaca a letra P, normalmente utilizada como abreviatura de Portugal. Destaque ainda para um fundo vermelho, em forma de gota, que pretende ilustrar o "esforço 'gota a gota' para a recuperação plena da economia nacional".

As empresas terão de se candidatar ao projecto e só depois de aceites é que os seus produtos poderão ostentar este logótipo. Os critérios de selecção são vários, nomeadamente o cumprimento das regras laborais, sociais e ambientais.

"Pela primeira vez temos um projecto integrado que actua em simultâneo junto dos empresários, valorizando a oferta, e dos consumidores, sensibilizando-os para o que se está a fazer na indústria e para as vantagens de consumir português", afirmou ao DN Paulo Nunes de Almeida, administrador da AEP responsável pelo projecto. E acrescenta: "Acreditamos que a ligação entre estas duas vertentes será a razão de sucesso do programa, com os consequentes efeitos macroeconómicos a nível do produto, do emprego e da balança comercial".