Público última hora - 21 Mar 08

 

Coordenador diz que situações com telemóveis são recorrentes
Linha SOS Professor quer que Ministério se pronuncie sobre agressão

 

O coordenador da linha SOS Professor, João Grancho, garantiu hoje que são recorrentes situações semelhantes à agressão de uma aluna a uma professora por causa de um telemóvel, divulgada na Internet, alertando para a necessidade de promover uma "convivência saudável" nas escolas. O professor apelou, ainda, a uma resposta por parte da tutela.

 

"Este foi um acto condenável, mas recorrente. Grande parte dos conflitos nas salas de aula deve-se a este tipo de aparelhos", afirmou o presidente da Associação Nacional de Professores, responsável pela Linha SOS Professor.

 

Para João Grancho, "perante uma situação com esta gravidade, os responsáveis pela tutela deviam ter alguma palavra e dar um sinal à sociedade e à família de que a educação não é isto". "É acima de tudo promover e melhorar a própria convivência", sublinhou.

 

O coordenador da SOS Professor defendeu ainda que tem de "haver um reforço da consciencialização, também por parte dos pais". Afirmando que as escolas têm de ter uma "atitude preventiva" relativamente a estes casos, João Grancho recusou-se a indicar quantos casos semelhantes foram registados pela linha SOS Professor, remetendo para um relatório que será apresentado no início de Abril.

 

João Grancho falou na sequência de uma professora da Secundária Carolina Michaelis, no Porto, ter sido vítima de uma cena de violência física e verbal por parte de uma aluna, depois de lhe retirar um telemóvel. A cena, filmada através do telemóvel de um outro aluno e divulgada no YouTube, mostra uma aluna do 9º ano a gritar e a empurrar uma professora quando a docente lhe tenta tirar o telemóvel.

 

Lusa