Portugal Diário - 09 Mai 07

 

Ajudamos pouco a família

 

Estudo realizado por Bruxelas põe Portugal e Espanha no fim da lista

 

Espanha, Itália, Portugal e Grécia são os países da União Europeia que menos ajudam a família, segundo um estudo apresentado hoje em Bruxelas, realizado pelo Instituto de Politica Familiar, uma entidade independente sediada em Madrid, noticia a Lusa.

Reportando-se a valores de 2004, o documento intitulado «A evolução da família na Europa 2007» revela que Portugal concede 168 euros por pessoa por ano, enquanto o Luxemburgo - no topo da tabela - ajuda com 2.291 euros.

Luxemburgo, Dinamarca, Suécia e Irlanda são os que mais apoios dão, distribuindo 1.400 euros por pessoa por ano, três vezes mais do que a média europeia.

Em oposição, Espanha, Itália, Portugal e Grécia são, entre 15 países da Europa, dos que menos ajudam a família.

A lista, que refere dados de 25 países europeus, tem no topo o Luxemburgo com apoios na ordem dos dois mil euros por pessoa e, no final, a Polónia que apenas ajuda com 48 euros anuais por pessoa.

O estudo foi desenvolvido por uma equipa de peritos em demografia, psicologia, sociologia e reconciliação entre trabalho e família.

O Instituto de Política Familiar é um organismo internacional sediado em Madrid que tem por missão a defesa e promoção da instituição familiar.

Sul lidera divórcios

Este relatório revela também que Espanha, Portugal e Itália são os países da União Europeia que registaram um maior aumento do número de divórcios nos últimos 11 anos.

Espanha lidera o grupo com um crescimento de divórcios na ordem dos 326 por cento desde 2005, seguido de Portugal com 89 por cento de crescimento e de Itália com 62 por cento.

Segundo o estudo, entre 1990 e 2005, mais de 13,5 milhões de casamentos foram dissolvidos em 27 países europeus, afectando mais de 21 milhões de crianças.

Por cada dois casamentos celebrados na Europa, um é desfeito.