Juntos Pela Vida- 26 Jun 08

 

Comunicado
Faça um aborto e receba um subsídio!

 

Perante a publicação do DL 105/2008, de 25 de Junho, que atribui subsídios para a promoção da maternidade e da paternidade, e inclui como beneficiárias as mulheres que abortarem voluntariamente, vem a ASSOCIAÇÃO JUNTOS PELA VIDA manifestar a sua indignação e pedir ao Senhor Primeiro-ministro que se digne responder às seguintes questões:

 

Está o Governo a promover a prática de abortos? Querendo o Governo promover a maternidade, atribui subsídios. Se atribui subsídios à prática de abortos, entendemos que está a promover e incentivar que as mulheres recorram àquela solução.
Assim sendo, reconhece o Senhor Primeiro-ministro que enganou os portugueses na campanha referendária, ao afirmar que tudo faria para evitar que as mulheres abortassem?

 

Quando se fala em "subsídio social por riscos específicos", está o Governo a reconhecer que o aborto comporto um risco e um trauma, físico e psicológico, e que, ao legalizá-lo, o Estado português colocou as mulheres numa situação perigosa e que as pode marcar para toda a vida – estando agora a querer por água na fervura, dando uns "trocos" para aliviar a dor…?

 

Se o Estado se propõe conceder um subsídio de maternidade a alguém que, como diziam os adeptos do Sim, não é mãe (porque "um feto de dez semanas está longe de ser uma criança"…), onde está a maternidade? Afinal há filho/a ou é um "monte de células"?

 

LISBOA, 26 DE JUNHO 2008

 

JUNTOS PELA VIDA ASSOCIAÇÃO