Portugal Diário  - 19 Jun 07

Governo reforça oferta de cursos profissionais

Medida pretende combater insucesso e abandono escolar diz Sócrates

O primeiro-ministro, José Sócrates, anunciou esta terça-feira em Torres Novas um reforço substancial de cursos profissionalizantes para o ensino básico e secundário, numa aposta que visa combater o insucesso e abandono escolar, noticia a agência Lusa.

Na apresentação dos cursos do programa «Novas Oportunidades» para o próximo ano lectivo, José Sócrates explicou que o objectivo final do Governo é que metade dos alunos opte por este tipo de ensino, cumprindo as recomendações da OCDE nesta matéria.

Segundo o primeiro-ministro, o aumento do número total de alunos nas escolas que se verificou no ano passado deve-se ao regresso de muitos jovens ao ensino através destes cursos, um resultado que inverte uma tendência de dez anos em que existiam cada vez menos jovens a estudar nestes escalões.

«Nenhum país pode competir na primeira linha da economia global se apenas tiver 30 por cento da população com o 12º ano», afirmou José Sócrates.

Nesse sentido, é responsabilidade do Governo fazer a «promoção desses cursos profissionais e tecnológicos» de modo a que haja «procura» para a oferta agora apresentada.

Nos cursos profissionalizantes «a taxa de insucesso e abandono escolar é muito menor» porque os alunos sabem que saem da escola com uma certificação profissional que «os habilita para o mercado de trabalho», sublinhou o primeiro-ministro.

Na cerimónia também esteve presente a ministra da Educação, Maria de Lurdes Rodrigues, que considerou o reforço do número de cursos uma «revolução silenciosa e tranquila» nas escolas que estão a adaptar «a sua oferta formativa às expectativas dos jovens e das suas famílias».

O Governo tenciona investir nos próximos anos na «modernização dos espaços e equipamentos das escolas» e alargar também a «cobertura da acção social escolar» no secundário.

«Temos de ter a garantia que nenhum aluno fica de fora do sistema por razões sociais e económicas», sustentou a ministra.

Para o próximo ano lectivo, os cursos profissionais, tecnológicos, de aprendizagem e de educação e formação aumentam para cerca de 5 mil, mais 1.700 do que no ano passado e o dobro do que em 2005/06.

Segundo o secretário de Estado da Educação, Valter Lemos, em cada escola, «a quase totalidade dos alunos do ensino secundário e básico poderá optar por um curso profissionalizante que o habilita para o mercado de trabalho».