Portugal Diário - 17 Jun 07

 

Recorde mundial de grávidas em Oeiras

Mais de 1.300 mulheres chamaram a atenção para a baixa natalidade

 

Mais de mil e trezentas mulheres entraram hoje para o Guinness ao participar, em Oeiras, na maior concentração mundial de grávidas, uma iniciativa destinada a colocar o problema da baixa natalidade portuguesa na agenda mediática e política, noticia a Lusa.

Promovida pela Yprod em parceria com a associação Ajuda de Berço, a Câmara de Oeiras e a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, o evento «Barrigas de Amor» chegou a ter inscritas 2.170 futuras mães, mas as condições meteorológicas e alguma falta de informação terão deixados centenas de mulheres em casa.

Ainda assim, o número de grávidas a visitar o Parque dos Poetas, em Oeiras - 1.307 - foi suficiente para a declaração de um novo recorde mundial, deixando a organização «muitíssimo satisfeita» e na expectativa de ter conseguido alertar para um problema «esquecido» em Portugal.

«O nosso objectivo é fazer com que a questão da natalidade seja discutida, porque somos o país da União Europeia com o índice mais baixo. Queremos que existam políticas concertadas para ajudar os jovens casais a ter filhos em condições, que haja preocupação com a renovação das gerações», explicou à Lusa Carlos Noivo, da Yprod, lembrando que o actual índice de natalidade nacional é de 1,4 filhos por mulher em idade fértil, quando «precisávamos de 2,1».

A falta de políticas de apoio, em especial às mulheres com dificuldade em engravidar, é precisamente uma das razões referida por Carla Duarte, de 31 anos, para justificar o reduzido número de filhos que os casais têm hoje em dia.

Grávida há seis meses, Carla encontrou na acupunctura a solução para um problema nunca identificado que demorou seis anos a ser resolvido. «Fiz três inseminações artificiais no privado e uma fertilização «in vitro», pagando imensas despesas. Felizmente não precisámos recorrer a nenhum empréstimo bancário, mas muitos casais acabam por fazê-lo. Se ajudassem mais, talvez as pessoas quisessem ter mais filhos», refere, na companhia do marido, adiantando que não tencionam ter mais nenhuma criança.

Amamentação, alimentação, o parto, a educação das crianças e o papel do pai na gravidez foram temas de sessões informativas, a partir das 10:00, altura em que tiveram também início actividades físicas e programas para os mais pequenos, como sessões de poesia, dança, massagens, meditação, yoga e actividades plásticas.

Ao contrário do previsto, não estiveram presentes no Parque dos Poetas os pais da criança britânica desaparecida no Algarve há mais de um mês e meio, Madeleine McCann, mas a organização não adiantou os motivos da ausência do casal.