Público - 30 Jun 06

Escolas vão avançar com Inglês para crianças do 1.º e do 2.º ano já a partir de Setembro

Governo quer
que as aulas da disciplina sejam dadas ao longo de todo
o 1.º ciclo do básico

As escolas do 1.º ciclo vão disponibilizar a partir do próximo ano lectivo o ensino do Inglês a crianças do 1.º e do 2.º ano, anunciou ontem o secretário de Estado da Educação, Valter Lemos. A oferta será assegurada durante o período de prolongamento do horário, entre as 15h30 e as 17h30, cabendo aos pais a decisão de as crianças frequentarem ou não estas aulas.
O adjunto da ministra da Educação, Ramos André, adiantou que o "Ministério da Educação (ME) já recebeu uma proposta da Associação Portuguesa de Professores de Inglês onde estão definidas as orientações programáticas para o ensino da língua nos 1.º e 2.º anos".
Segundo o plano de enriquecimento curricular apresentado a 7 de Junho pelo ME, as actividades de prolongamento de horário nas escolas do 1.º ciclo do ensino básico vão integrar obrigatoriamente o apoio ao estudo, com uma duração mínima de 90 minutos por semana, e iniciação ao Inglês para os alunos dos 3.º e 4.º anos, durante 135 minutos por semana.
Os agrupamentos de escolas terão autonomia para definir outras actividades extracurriculares para ocupar o tempo que sobra das dez horas semanais de prolongamento de horário. Nessa oferta deverá incluir-se o desporto escolar e o ensino musical ou outras expressões artísticas. A ideia é que seja pensada sobretudo em função do contexto local.
Para isso os agrupamentos de escolas devem formar parcerias com autarquias locais ou outras entidades promotoras, planificar as actividades e apresentar a sua candidatura ao apoio financeiro do ME.
O anúncio do secretário de Estado da Educação sobre o alargamento do Inglês foi feito ontem em Sintra, durante a apresentação do Programa de Verão 2006, um projecto que permite que 60 crianças desfavorecidas do concelho participem numa Escola de Verão, onde aprendem Inglês e Tecnologias da Informação, numa parceria entre a Carlucci American International School of Lisbon, a Câmara de Sintra e a empresa de tecnologia Novabase, com o apoio do Ministério da Educação. lusa