Público - 14 Jun 06

Distrito de Bragança perde este mês 225 escolas

Num total de 292 estabelecimentos de ensino, no próximo ano lectivo só 67 irão reabrir na região

O número de escolas do primeiro ciclo no distrito de Bragança vai ficar reduzido a menos de um terço no próximo ano lectivo com o encerramento de 225 estabelecimentos, no âmbito do reordenamento da rede escolar. Segundo dados avançados à agência Lusa pelo coordenador do Centro da Área Educativa (CAE) de Bragança, Alcídeo Castanheira, 225 das 292 escolas primárias rurais do distrito encerram já este mês, ficando a funcionar apenas 67 estabelecimentos nas várias centenas de aldeias do Nordeste Transmontano. A estes somam-se as 32 escolas das zonas urbanas, ficando abertas apenas 99 das 325 até agora existentes na região.
Aquele responsável admite que, com as escolas, encerra a última esperança de vida para muitas destas aldeias, mas acaba também o isolamento a que estiveram condenadas crianças e professores em escolas com um, dois ou três alunos. A partir do próximo ano lectivo, o número mínimo de alunos a frequentarem os estabelecimentos do primeiro ciclo será de vinte e nenhum terá menos de dois professores, além de estarem garantidos transporte, refeições e actividades extracurriculares para as crianças. As 67 escolas que permanecem abertas nas zonas rurais passarão a ser pólos de concentração de estudantes e estão a ser reabilitadas ou ampliadas para reunirem as condições necessárias. No mais pequeno concelho do distrito, Freixo de Espada à Cinta, fecham as escolas das cinco freguesias rurais, ficando apenas a funcionar a da sede, que passará a concentrar as 153 crianças do concelho. Menor é ainda o número de crianças em Vimioso (142), mas aí permanecem ainda abertas quatro escolas nas aldeias e a da sede de concelho.
O concelho onde fecha o maior número de escolas é o de Mogadouro. Dos 25 estabelecimentos rurais encerram 23. Dois permanecem abertos como pólos de concentração, junto com a escola da sede de concelho.
O segundo concelho que perde mais escolas é o de Bragança (21) permanecendo abertas onze rurais e 10 urbanas. Embora seja a capital de distrito e o concelho mais populoso, com mais de 34 mil habitantes, o número de crianças que frequenta o ensino básico (1051) é praticamente o mesmo que o de Mirandela, o segundo maior concelho, com 1012 alunos no antigo ensino primário.
O primeiro ciclo conta 4714 crianças no distrito de Bragança, o que equivale a 40 por cento do total de alunos que frequentam os diferentes níveis de ensino na região, do primeiro ao 12º ano. A falta de estudantes, que há mais de uma década obriga ao encerramento de escolas todos os anos lectivos, atingiu já também os níveis superiores, nomeadamente as escolas secundárias, que têm vindo a perder alunos, o que levou ao encerramento da de Carvalhais, em Mirandela, e da de Vinhais.
Em alguns concelhos, o reordenamento é ainda transitório, faltando alguns ajustes, que contemplam a construção dos chamados "centros de excelência", os pólos para concentração de crianças com todas as condições exigidas. No distrito de Bragança, está prevista a construção destes centros em Mogadouro, Mirandela e Bragança, além de Alfândega da Fé, que tem o projecto mais avançado, já em fase de conclusão. PÚBLICO/Lusa