Diário de Notícias - 21 Jul 08

 

Filme sobre alterações climáticas gera polémica
Filipe Feio

 

Reino Unido. Regulador considera que imagem de cientistas foi adulterada

 

Documentário não engana os telespectadores, diz órgão regulador britânico

 

O canal britânico Channel 4 adulterou a imagem de alguns dos mais proeminentes cientistas do mundo num controverso documentário que alegava que o aquecimento global não passava de uma conspiração e de uma fraude. A conclusão da Ofcom, o regulador dos media britânicos, resulta de um processo de investigação de 15 meses, e poderá, assim, chegar ao fim durante esta semana.

 

De acordo com o The Guardian, a transmissão pelo Channel 4 do documentário intitulado The Great Global Warming Swindle (ou, em português, e em tradução livre, A Grande Fraude do Aquecimento Global), deverá, depois desta decisão da Ofcom, traduzir-se então numa condenação do canal. Ou seja, a Ofcom deverá dar razão aos queixosos, entre os quais se incluem o ex-assessor do governo britânico para a área de ciência , Sir David King, e o Painel Intergovernamental para as Alterações Climáticas (nomeado com o Nobel), relativamente à forma como foram apresentados e representados os cientistas no documentário. "O Channel 4 atribuiu injustamente (...)a David King comentários que ele não fez e criticou-o por esses comentários, não lhe dando a oportunidade de responder", afirma a Ofcom.

 

No entanto, apesar de o regulador reconhecer que o filme não era justo para com os cientistas, não chegou à conclusão de que fosse enganador para os telespectadores, no que diz respeito à precisão dos dados e informações contidas no documentário.

 

Nesta matéria, descrita ao longo de 270 páginas e 131 tópicos, espera-se que o Channel 4 se declare vitorioso, e que afirme que o programa passou o teste sobre se deveria ou não ter sido transmitido.

 

Quando transmitido, o documentário foi criticado por cientistas, que o acusaram de interpretar erradamente as evidências do aquecimento global, de recuperar argumentos antigos e desacreditados, e de manipular dados para provar a sua teoria, vista como uma resposta a Uma Verdade Inconveniente, de Al Gore.

 

Além de alegar que os cientistas do Painel Intergovernamental para as Alterações Climáticas não quiseram participar no filme, o realizador afirma que "a morte desta teoria vai ser dolorosa e feia". "Mas vai morrer. Porque está errada", escreveu Martin Durkin.