Jornal de Negócios online - 17 Jul 08

 

FMI diz que acumulação de um passivo externo líquido não pode continuar indefinidamente
"Portugal vive acima das suas possibilidades há muitos anos"

 

“Portugal tem estado a viver acima das suas possibilidades desde há muitos anos, obtendo financiamento do resto do mundo através do sistema bancário, aumentando o endividamento externo”.

 

A frase está escrita no relatório hoje divulgado pelo FMI sobre a economia portuguesa, onde a instituição adverte que “embora a participação na UEM (União Económico Monetária) altere a natureza da restrição externa, não a elimina: a acumulação de um passivo externo líquido não pode continuar indefinidamente”.

 

“Por isso, a resolução deste problema fundamental exige ajustamentos e uma maior poupança a todos os sectores da economia. Se não se aumentar a produtividade, os encargos do ajustamento recairão no consumo e no investimento. As políticas deverão promover este ajustamento, impedindo cenários potencialmente mais adversos.”

 

E nem as “condições mundiais mais frágeis deverão, por conseguinte, constituir motivo para um recurso a “soluções artificiais”, mas antes para intensificar os esforços para reactivar o processo de convergência, entretanto estagnado”.

 

O FMI recomenda por isso “continuar a consolidação e reforma orçamentais; manter a solidez do sector financeiro; aumentar a capacidade de oferta da economia e melhorar a sua competitividade”.