Diário de Notícias - 23 Jan 09

 

Inscrições de desempregados com maior aumento em 15 anos
Catarina Almeida Pereira

 

Mercado de trabalho. Registos sobem 26% no último trimestre de 2008

 

Em Dezembro havia mais 25 mil desempregados do que há um ano

 

No último trimestre do ano passado, inscreveram-se nos centros de emprego 173 mil desempregados, numa média de quase 58 mil por mês, o que representa um aumento homólogo de 26%. Cálculos do DN, a partir de dados ontem divulgados pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) e pelo Banco de Portugal, mostram que este é o maior crescimento homólogo desde os três meses terminados em Novembro de 1993.

 

As conclusões são idênticas se for tido em conta apenas o mês Dezembro, altura em que cerca de 48 600 pessoas ficaram desempregadas, mais 37% do que no último mês de 2007. Também neste caso é necessário recuar 15 anos para encontrar uma variação homóloga tão expressiva.

 

A instabilidade sentida sobretudo no segundo semestre fez de 2008 um ano pior. De Janeiro a Dezembro os centros de emprego registaram mais de 608 mil inscrições, o maior valor anual desde o início da série (1979) e que representa num aumento de 11% face a 2007.

 

A informação apresentada refere-se às pessoas que, ao longo dos meses considerados, se inscreveram no IEFP como desempregados. Por reflectirem a instabilidade no mercado de trabalho, estes dados são tidos como indicadores de um possível agravamento futuro do desemprego. Isto porque, se aumenta de forma tão acentuada o número de pessoas à procura de trabalho, o mercado acaba por não as conseguir absorver.

 

É o que está a acontecer. O aumento do número dos que permanecem inscritos como desempregados no final dos meses é cada vez maior: em Outubro o acréscimo homólogo foi de 0,5%; em Novembro de 2,9%; em Dezembro, foi já de 6,6%, o maior desde meados de 2004.

 

Há agora 416 mil desempregados inscritos nos centros de emprego. O aumento foi transversal a todas as regiões do país, tendo o Algarve registado a maior subida.

 

Mais despedimentos

 

Quatro em cada dez pessoas inscreveram-se no centro de emprego por fim de trabalho não permanente, de que é exemplo a não renovação de contratos a prazo. Em Dezembro, esta situação afectou mais de 21 mil pessoas.

 

O despedimento unilateral está, contudo, a ganhar peso, tendo motivado quase 9 mil inscrições, num aumento de 62% em relação ao mês de Dezembro do ano anterior. Apesar de menos significativos, os despedimentos por mútuo acordo registam uma variação semelhante.

 

A região Norte é a mais instável, com 35% das 48 600 inscrições no Centro de Emprego ao longo de Dezembro passado. Apesar do Algarve ter registado uma subida mais expressiva, é no Norte que se concentra o maior número de pessoas desempregadas no final do mês: são quase 184 mil ex-trabalhadores, 44% do total.