Expresso - 20 Jan 07

 

Educação e Formação
Daniel Bessa


A educação e a formação têm sido apontadas como o maior fracasso da sociedade portuguesa contemporânea

 

Portugal receberá da União Europeia, entre 2007 e 2013, 21,5 mil milhões de euros brutos (a que haverá que descontar cerca de metade, a título de contribuição portuguesa para o orçamento comunitário). Diz-se que uma verba deste montante dificilmente se repetirá.

O Governo acaba de dizer como se propõe gastar este dinheiro. Na comunicação que fez, insistiu na importância da educação e da formação. Educar os jovens e formar os trabalhadores constituem as duas primeiras das dez prioridades elencadas pelo primeiro-ministro.

A comunicação social recordou, vezes sem conta, que se concentra na educação e na formação a maior fatia da soma recebida de Bruxelas, cerca de 6,15 mil milhões de euros.

A educação e a formação têm sido apontadas como o maior fracasso da sociedade portuguesa contemporânea. Não necessariamente por falta de dinheiro: é consensual a ideia de que o dinheiro do Fundo Social Europeu tem sido, entre todo o recebido de Bruxelas, o menos bem gasto.

Acredito que se trate de uma última oportunidade. Dinheiro, mais dinheiro, já temos. Oxalá não nos venha a faltar quase tudo o mais que também será necessário.