Diário de Notícias - 03 Jan 07

 

Movimento do não aposta no Norte  
Francisco Almeida Leite
 

António Lobo Xavier, José Pedro Aguiar-Branco e Matilde Sousa Franco apresentam hoje publicamente o movimento de cidadãos "Norte pela Vida", numa cerimónia ao fim da tarde na Alfândega do Porto. A sessão é a primeira iniciativa pública do grupo depois de recolhidas as cinco mil assinaturas necessárias para a legalização junto da Comissão Nacional de Eleições (CNE).

Para além do ex-dirigente do CDS e daqueles dois deputados do PSD e do PS, o movimento abarca outros nomes do Norte, como Arlindo Cunha, antigo ministro dos governos de Cavaco Silva, Nogueira de Brito, histórico deputado centrista, os deputados José Paulo Carvalho e Diogo Feyo, entre outros.

Segundo Isabel Adão da Fonseca, o movimento tem uma comissão executiva de 12 membros, 70 mandatários e cerca de 60 operacionais, que irão para o terreno dentro de dias: "A campanha oficial só arranca 15 dias antes do referendo [11 de Fevereiro], mas nós vamos fazer várias acções já." Uma das primeiras acções, depois da recolha de assinaturas no Porto e da iniciativa de hoje, será a reunião no próximo sábado com uma dezena de movimentos do "não". No Porto irão juntar-se movimentos de Lisboa, Coimbra, Braga, Algarve, Aveiro e Vila Real. O movimento "Norte pela Vida" diz querer "contribuir para o esclarecimento da população, para a divulgação de uma cultura de solidariedade e vida e para o exercício do voto consciente e responsável, que diz 'não' à pergunta colocada no referendo".

PCP contra manipulação

Quem ontem formalizou a sua participação no referendo foi o PCP. Os comunistas entregaram na CNE as assinaturas necessárias para poderem participar activamente na campanha e prometem fazer campanha "olhos nos olhos" contra a " manipulação e chantagem psicológica" que dizem existir por parte dos apoiantes do "não", afirmou a dirigente do PCP Fernanda Mateus.