Portugal Diário - 20 Dez 06

 

Referendo: «Deixar o bebé mostrar-se»

Movimento «Não obrigada» pretende mostrar o «máximo possível», com imagens tridimensionais de fetos

Para «deixar o bebé mostrar-se», o movimento contra a despenalização do aborto «Não Obrigada» apresentou esta quarta-feira um vídeo, que pretende mostrar «o máximo possível», com imagens tridimensionais de um feto com dez semanas de gestação, escreve a Lusa.

«Quanto mais imagens forem mostradas, maior o esclarecimento», defendeu o ginecologista-obstreta João Paulo Malta, durante uma sessão de esclarecimento organizada pelo movimento «Não Obrigada», que hoje inaugurou a sua sede de campanha, junto ao Saldanha, em Lisboa.

Criticando aqueles que até agora estão a tentar «escamotear dados científicos», João Paulo Marta e dois cardiologistas pediátricos apresentaram um conjunto do que consideraram ser «evidências científicas» para demonstrar que «a vida humana começa na concepção».

«Ao vigésimo dia de gestação começam os batimentos cardíacos, ou seja, muito antes das dez semanas, o coração já bate», referiu à Lusa o cardiologista pediátrico Fernando Maymone Martins.

«Um coração com dez semanas assemelha-se já a um coração de um adulto, com aurículos e ventrículos (. . .). Em termos funcionais, o coração já se assemelha ao de um adulto», corroborou o também cardiologista pediátrico José Diogo Ferreira Martins, acrescentando ainda que a frequência cardíaca de um feto com dez semanas de gestação é de 175 pulsações.

«Vamos deixar o bebé mostrar-se», disse João Paula Malta, lembrando que é, precisamente, sobre os bebés «que estamos a decidir» no próximo dia 11 de Fevereiro no referendo para a despenalização da interrupção voluntária da gravidez a pedido da mulher até às dez semanas.

Desta forma, uma das imagens que o movimento pretende «mostrar o máximo possível» até ao dia do referendo é um vídeo com imagens de ecografias tridimensionais de um feto com oito, nove e dez semanas de gestação.