Público - 15 Dez 06

Maria José Nogueira Pinto rejeita IVG financiada pelo Estado

 

A mandatária da plataforma Não Obrigada, Maria José Nogueira Pinto, manifestou-se ontem contra o financiamento da interrupção voluntária da gravidez (IVG) pelo Estado, através do Serviço Nacional de Saúde (SNS). Considerando "injusto" que a IVG até às dez semanas de gravidez seja paga pelo dinheiro dos contribuintes, quando há portugueses em listas de espera para cirurgias ou sem médico de família. "Se o aborto for liberalizado, será feito gratuitamente nos hospitais do SNS e em clínicas privadas comparticipado pelo Estado", frisou. Maria José Nogueira Pinto falava depois de ter sido afixado mais um outdoor da plataforma Não Obrigada, em frente ao Hospital de Santa Maria em Lisboa. A vereadora do CDS/PP na Câmara Municipal de Lisboa considera que a despenalização da IVG levará a "um desvio de financiamento do SNS para o aborto", quando o sistema "tem grandes constrangimentos financeiros". Mas mostra-se igualmente contra a possibilidade da IVG ser autorizada apenas em clínicas privadas, logo não financiada pelo Estado. "Isso seria um absurdo, porque o nosso sistema de saúde é o SNS." A plataforma Não Obrigada passou ter desde ontem mais um tipo de cartazes contra a despenalização da IVG, onde se pode ler: "Contribuir com os meus impostos para financiar clínicas de aborto? Não Obrigada!"