Público - 23 Dez 05

Verbas são canalizadas para instituições com fins sociais
Pai Natal das empresas aposta na solidariedade

Para além do avô da Lapónia, também as empresas põem presentes de Natal nos sapatinhos dos clientes especiais. Mas nos últimos anos, diversas organizações optaram por transferir a verba anualmente destinada aos presentes para instituições de solidariedade social.

Este é o sexto ano em que a Caixa Geral de Depósitos (CGD) envia um cartão aos seus clientes a divulgar a iniciativa. Para dar às crianças internadas momentos de brincadeira e a possibilidade de se sentirem mais próximas dos pais, a instituição bancária envolveu-se ainda no projecto TIC Pediátrica, programado para os próximos quatro anos, no sentido de dotar as unidades de pediatria dos hospitais públicos com infra-estruturas tecnológicas.

No Natal de 2003, a Vodafone deixou de dar os cerca de cinco mil presentes institucionais (canetas, porta-CD, cristais, charutos, entre outros) e decidiu doar 200 mil euros para a construção da próxima casa Acreditar-Associação de Pais e Amigos de Crianças com Cancro. Desde então tem vindo a ajudar diversas associações, como a Mimar, a Novo Futuro ou o Refúgio Aboim Ascensão, tendo-se associado este ano ao Chapitô, numa iniciativa lúdico-pedagógica. O Banif Banco de Investimento, o Banco Espírito Santo, a Mota Engil, a Renault Nissan Portugal e a RCI Banque são exemplos de instituições que aplicam a mesma política.

Mas para que o Ano Novo não traga preferências novas em termos de fornecedores, empresas de diferentes ramos de actividade zelam por manter no cliente a recordação das boas experiências que as relações profissionais trouxeram, oferecendo brindes. Agendas a anunciar os dias úteis e os feriados de 2006, vouchers estada, os presentes são variados.

No Grupo Pestana, cada área operacional da cadeia hoteleira decide quais são os seus clientes VIP e que presentes oferecer. Podem ser vinhos, especialidades gastronómicas, cabazes de Natal, ou mesmo vouchers estada, dependendo do caso. Na Nestlé, os presentes são os esperados bombons, que de ano para ano continuam a adoçar clientes e fornecedores. A Siemens optou este Natal por oferecer um "kit 100 anos", com um livro, um DVD e uma carta do presidente, a assinalar a presença da empresa em Portugal.

A Vida é Bela, empresa que vende pacotes de experiências, apresenta inúmeras ideias que têm sido, neste Natal, opção para muitas instituições. São empresas 80 por cento dos compradores de experience packs - que podem ir de voos acrobáticos a bordo de um biplano Pitts s2b, a jantares em restaurantes requintados.

Colaboradores não são esquecidos

Para além do tradicional jantar de Natal, muitas empresas oferecem visitas ao circo ou brinquedos para os filhos dos colaboradores. O Grupo Pestana oferece presentes-surpresa aos seus funcionários: a distribuição é feita por sorteio e entram na tômbula agendas ou canetas, juntamente com viagens. Na Portugal Telecom, todos os colaboradores são convidados a oferecer roupa para a Cais e nos laboratórios Jaba o vestuário doado pelos funcionários é enviado para a comunidade Vida e Paz.

WB00789_.gif (161 bytes)