Público - 30 Ago 08

 

Aumento da criminalidade violenta já atingiu 15 por cento no primeiro semestre

 

A O Gabinete Coordenador de Segurança (GCS) anunciou ontem que a criminalidade violenta registada em Portugal no primeiro semestre deste ano aumentou 15 por cento em relação ao mesmo período de 2007. Este aumento é superior em cinco pontos percentuais ao que havia sido anunciado, um dia antes, pelo mesmo organismo.

 

Na quarta-feira, o responsável pelo GCS, general Leonel Carvalho, dissera que a criminalidade violenta havia aumentado em "pouco mais de dez por cento" em relação ao primeiro semestre do ano passado, enquanto os números da totalidade do crime participado no país tinham crescido ligeiramente abaixo dos dez por cento.

 

Já ontem, depois do anúncio destes novos números, houve vários crimes graves por todo o país. Em Joane, Famalicão, durante um assalto a uma ourivesaria, duas pessoas sofreram ferimentos ligeiros após disparos de caçadeira. Em Mem Martins (Sintra), dois homens armados voltaram a assaltar um banco. O roubo à dependência da Caixa Geral de Depósitos foi o 105.º desde o início do ano (em 2007, o total foi 108 assaltos).

 

22 mil participações

 

Estes assaltos ocorreram apenas algumas horas depois de diversas polícias terem desencadeado, por todo o país, rusgas tendentes, sobretudo, a encontrar armas ilegais.

 

No Porto, foram mobilizados 200 polícias pelo comando metropolitano da PSP. A acção incidiu principalmente nos bairros do Lagarteiro e da Sé, com a detenção de 15 pessoas e a apreensão de duas réplicas de armas de fogo.

 

Mais a sul, nos distritos de Leiria, Santarém, Lisboa e Setúbal, uma operação desencadeada pela GNR em estabelecimentos de diversão nocturna culminou em 35 detenções. Os 600 efectivos da GNR e do SEF envolvidos na "Operação Sado" procuraram armas, droga e imigrantes ilegais, e constituíram como arguido o proprietário de um estabelecimento, a quem acusam de usurpação.

 

No Algarve, dois homens e uma mulher foram detidos pela PSP depois de terem sido encontradas em sua posse nove armas ilegais de diversos calibres, mais de 10 mil munições, 10.500 doses de haxixe e 250 doses de cocaína.

 

Os números totais da criminalidade violenta contabilizada em Portugal, durante 2007, atingiam quase 22 mil participações. A criminalidade violenta divide-se em 17 itens, desde o homicídio voluntário consumado até ao terrorismo. Os dados do ano passado referiam que o crime violento mais participado no ano passado foi o roubo na via pública (sem incluir esticão), com 9.660 casos.

 

Os anos de 2004 e 2006 tiveram, no primeiro semestre, criminalidade violenta e grave participada em número superior à que agora se verifica.